Estudantes desenvolvem projeto para a produção de hortas em casa

ara o preparo e adubação do solo, neste tipo de horta, podem ser utilizados restos de alimentos, como cascas de frutas e verduras, e outros de origem doméstica, evitando o desperdício.

53

Estudantes do Colégio Estadual Professor Paulo Freire, em Ibirapuã (779 km de Salvador), utilizaram uma técnica para que qualquer pessoa possa ter uma horta orgânica em casa. Denominado de ‘Horta autossustentável’, o projeto utiliza materiais recicláveis e orgânicos, tem baixo consumo da água e facilita o deslocamento da horta entre os ambientes da casa. Utilizando a irrigação do gotejamento, a ideia é introduzir o conceito de sustentabilidade nas áreas urbanas, principalmente nos municípios que convivem com a escassez de água.

O estudante Igor Ferreira, 20, que apresentou o projeto durante a 7ª Feira de Ciências, Empreendedorismo e Inovação da Bahia (FECIBA), em Salvador, falou como funciona a horta. “A base lateral de sustentação é feitas de madeira. Na parte de cima são colocadas garrafas do tipo pet de dois litros emborcadas e barbantes de 15 centímetros introduzidos no centro das garrafas, com o objetivo de sugar a água e manter as plantas irrigadas. Adaptamos quatro canos de PVC com as duas laterais fechadas, onde um dos lados será utilizado para absorver a água da garrafa inteira, que terá um furo gotejando. Sobre os barbantes são colocados cascalhos e depois a terra orgânica onde serão colocadas as sementes para germinação”, explicou o aluno.


Para o preparo e adubação do solo, neste tipo de horta, podem ser utilizados restos de alimentos, como cascas de frutas e verduras, e outros de origem doméstica, evitando o desperdício. Igor falou sobre a repercussão do projeto para ele e para a comunidade escolar. “Essas atividades são muito legais porque podemos aprender bastante com pesquisas e estudos práticos. Também tivemos esse prazer de apresentar o projeto em Salvador durante a FECIBA, onde tivemos uma boa receptividade. É legal termos esse reconhecimento de um trabalho feito com dedicação e com uma grande participação de nossa orientadora e professora Maisa Rodrigues”, ressaltou. Ele conta que tem a intenção de ampliar o projeto. “Apesar de já ter concluído o Ensino Médio, tenho o interesse de estudar a possibilidade do uso de outros materiais na produção da horta, dando mais opções sustentáveis para aqueles que queiram ter uma horta em casa”, disse. 

Facebook Comentários