Adolescentes atendidos pelo Corra Pro Abraço lançam documentário

348

Jovens participantes das aulas de educomunicação, estrategia que utiliza as plataformas de comunicação para gerar conteúdo de informação e educação, oferecidas Pelo Programa Corra Pro Abraço apresentaram, nesta quarta-feira (6), no Colégio Estadual General Dionísio Cerqueira, um videodocumentário produzido por eles mesmos sobre a comunidade do Boqueirão, no bairro de Santa Cruz, em Salvador. A iniciativa passou por outros bairros que também apresentarão suas produções até o dia 14 de setembro.

“Hoje a gente utiliza as estratégias da metodologia da educação pela comunicação para atuar no processo de cuidado com jovens de quatro bairros: Fazenda Coutos, Plataforma, Boqueirão e Beirú. Essas ações complementam uma série de estratégias buscando um processo de fortalecimento da autonomia destes jovens, para que eles tenham condições de construir projetos de vida, de carreira, e estratégia de vínculos familiares e comunitários que possam diminuir os impactos e diversos riscos que eles correm por conta da situação socioeconômica e política em que vivem”, explica coordenador do Corra Pro Abraço, Leandro Villas.

A adolescente Nathalí Fernandes, 16 anos, se encantou pelas técnicas de edição de vídeo. Já o estudante Alecsandro Bastos, também de 16 anos, se interessou pela fotografia. Ambos participaram da produção do vídeodocumentário “Movimento Boqueirão – Meu Bairro Também Fala”, junto com outros 12 jovens. Eu ficava o dia todo na rua, fazia o que não devia. Agora me ocupei bastante com este curso e estou gostando”, disse Alecsandro. “Era um lugar que muita gente dizia que só havia violência, mas também existem coisas boas aqui”, conta Nathalí.

As aulas duraram três meses e ajudaram a revelar talentos e habilidades, além de dar um novo rumo aos planos dos participantes. “Eu avalio o resultado de forma bem entusiasta porque jovens que se colocavam como tímidos ou se negavam a participar, a interagir, a falar em público e hoje estão executando várias funções e atividades, e muitos deles dizendo que querem isso para sua vida profissional, que querem seguir, continuar”, relata a videoeducadora, Emilae Sena, que sente feliz com o resultado alcançado.

Em 2017, o Corra Pro Abraço, programa executado pela Secretaria Estadual de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHS), ampliou suas ações. “Para além de pensar ações voltadas para pessoas que estão em situação de rua e fazem uso de drogas, esse ano a gente tem pensado também em trabalhar a questão da prevenção. Adolescentes e jovens que estão em comunidades populares de Salvador, passam por problemas relacionados ao tráfico de drogas nestes territórios. Então, a ideia é partir da arte educação, da educomunicação, discutir a questão da redução de danos, trabalhar com esses meninos as políticas sobre drogas, de como trabalhar com substâncias psicoativas na sua vida”, afirma Emanuele Silva, diretora da Superintendência de Políticas sobre Drogas e Acolhimento a Grupos Vulneráveis (Suprad) da SJDHDS.

Comments

comments