Ator perde papel em novela, não volta ao ar e deixa a Record após 13 anos

8
Logo da Record (Foto: Divulgação/Montagem)
Logo da Record
(Foto: Divulgação/Montagem)

A Record acaba de perder mais um ator do seu casting fixo. Desta vez, uma prata da casa que já estava há 13 anos por lá e que participou de grandes sucessos no canal.

Estamos falando de Jorge Pontual, que participou de obras na emissora de Edir Macedo como Prova de Amor, Alta Estação, Caminhos do Coração, Amor e Intrigas, Poder Paralelo, Os Dez Mandamentos e O Rico e Lázaro.

Vale dizer que ele estava escalado para Apocalipse, mas foi remanejado para Rosa Choque, nova novela da Record que deve estrear em 2019, caso saia mesmo do papel, na faixa das 19 horas.

Pontual atualmente está sem projeto na TV, mas roda “Intervenção”, longa dirigido por Caio Cobra. A informação é da jornalista Patricia Kogut, do jornal “O Globo”.

+ Thiago Fragoso celebra o dia dos pais e declara: “Mudou tudo na minha vida”

A Record vivido bastante essa onda de atores desistindo de longos contratos por causa da nova política entre ator e emissoras: o contratos por obra. Assim também é feito no SBT e, principalmente, na Globo.

O ator Jorge Pontual.

TROCA DE NOVELA:

Pontual fez o mesmo caminho que o ator Guilherme Winter. Ele (Winter) estava escalado para viver o mocinho no folhetim, mas declinou e agora continuará com um papel de destaque na nova produção, Topíssima, só que como um vilão. Formaria o trio de protagonistas ao lado de Camila Rodrigues e Dudu Azevedo, que saiu da trama para viver Jesus.

JORNALISTA JORGE PONTUAL, DA GLOBO:

Um dos mais antigos e respeitados jornalistas da Globo, Jorge Pontual, que atualmente é correspondente do canal em Nova York, apareceu em outra atração recentemente.

Ele gravou para o Bem Estar, matutino que fala sobre saúde, doenças e os seus tratamentos. Na ocasião, Pontual revelou que sofre de depressão.

“Eu sofro de depressão há quase 40 anos, e só agora estou tomando os remédios certos graças a um novo exame. É um teste genético que dá ao psiquiatra um perfil detalhado de 18 genes ligados à saúde mental. Descobri que justamente, durante décadas, eu tomei aqueles que não funcionavam no meu caso. Só que agora eu estou no caminho certo”, afirmou ele na reportagem.

“O resultado do teste veio com a lista dos antidepressivos que não funcionam para mim, e eram justamente aqueles que tomei durante décadas. A boa notícia é que veio também a lista dos antidepressivos que funcionam, e ela é bem mais longa”, comemorou.

E acrescentou: “Agora que eu estou tomando o metilfolato e o antidepressivo certo, minha vida mudou, meu humor ficou estável, sem aqueles altos e baixos, em geral mais baixos do que altos, de antes. A depressão ficou sob controle”, disse ele no programa.

Facebook Comentarios