Projeto do Goethe mistura performances interativas, exposição, oficina e uma festa

4

Discussões sobre sexo, gênero, raça e poder vão dominar o Goethe-Institut, desta quinta (12) até o dia 17, com exceção apenas do domingo. O projeto gratuito de ocupações artísticas, denominado de Devires, mistura cinco performances, uma exposição, uma mesa de debates, uma oficina e, até, uma festa, que mesclam artistas da Bahia e de outros estados. Com classificação indicativa de 18 anos para a maior parte das atividades, a iniciativa visa abordar essas questões sensíveis com várias quebras de tabus.

Assim, a curadoria de Paola Marugán e Juliana Vieira traz o corpo para o centro do discurso, utilizando pessoas reais como bases e exemplos. “Não é um projeto que chega para chocar, pelo contrário, é uma iniciativa que vem para naturalizar e discutir essas relações e potências do corpo”, pondera Juliana Vieira, que ainda pontua que pessoas com menos 18 anos podem acessar qualquer uma das atividades quando acompanhadas dos responsáveis.

O dia de abertura do evento começa com interações e uma exposição. Nesta quinta, o projeto é iniciado às 17h com a performance A Babá Quer Passear. Nela, a atriz paulista Ana Flávia Cavalcanti estará dentro de um carrinho de bebê gigante, aguardando que alguém do público a leve para um passeio, que será iniciado pelo Largo do Grande, indo em direção ao Goethe. Durante o percurso, a artista interage com a pessoa que estiver a guiando. O tema principal do papo, que tem classificação livre, é a invisibilidade da empregada doméstica no Brasil – por isso a proposta da inversão de papéis, de uma mulher negra sendo levada para passear ao invés de ser ‘a babá’.

O artista Kleper Reis leva objetos, fotografias e outras artes para discutir preconceitos na exposição Cu é Lindo
(Foto: Renan Reis/Divulgação)

Às 19h, logo após a primeira ocupação, o artista Kleper Reis apresenta as suas fotografias, os seus diversos objetos e outras artes plásticas que debatem sobre a censura, as memórias das violências e espancamentos sofridos por grande parte da sociedade, além de discriminações e preconceitos sociais. Para a exposição, o foco principal utilizado fica para os orifícios humanos, seguindo o nome da mostra: Cu é Lindo, que fica com classificação para a partir de 18 anos.

A atriz Ana Flávia Cavalcanti faz um momento interativo em que convida o público a contar histórias
(Foto: Bruno Coqueiro/Divulgação)

Já às 20h, a atriz Ana Flávia Cavalcanti retorna ao espaço para um momento interativo, intitulado de Serviçal, também com classificação livre. Sendo desdobramento da sua primeira apresentação, Ana agora convida os negros presentes para contarem suas histórias de trabalho, mescladas a depoimentos colhidos durante o passeio da babá.

SEXTOU (MESMO)!
Com continuação amanhã, Devires prossegue com duas performances. Às 18h, o ambiente abre alas para o espetáculo Enxágue, uma performance poética (de Rozin Daltro) que busca desmistificar estigmas relacionados a pessoas que vivem com HIV. Já às 20h, acontece o solo Em Nome da Razão, de Yuri Tripodi, que debate temas como loucura e padrões sociais.

E ainda vai rolar um “sextou!” oficial para finalizar a sexta de apresentações. A festança – no melhor estilo ‘balada’ –, que acontece no Espaço Charriot, no Comércio, com entrada por R$ 10, mistura um lineup com DJs e performances de Afrobapho, Frutífera Ilha e Malayka SN.

O ARTISTA DENTRO DE CADA UM
Já no sábado, o evento traz, às 20h, uma montagem cênica sobre os estereótipos das mulheres latinas, recebendo a colombiana Nadia Granados para o show. Antes, porém, o espaço formula a mesa de debates, às 16h, discutindo sobre formas de fazer uma vida política mais prática.

Para o desfecho, que percorre a segunda e a terça-feira, o evento traz uma oficina, intitulada O Corpo é o Discurso. Nela, o público vai ser estimulado a expor angústias e enfrentar, por meio de expressões artísticas, toda a repressão política do medo.

Para conferir a programação completa do projeto, basta acessar o site oficial do evento.

SERVIÇO
Goethe-Institut (Av. Sete de Setembro, 1809 – Vitória).
Abertura: Hoje (12), a partir das 17h.
Evento geral: De hoje (12) até dia 17 (com exceção do domingo), em horários variados para cada programação.
Entrada gratuita (com exceção da festa: por R$ 10).

Facebook Comentarios