Cineasta francês Luc Besson é acusado de ‘agressão sexual’

9

O cineasta francês Luc Besson foi acusado de “agressão sexual” por diferentes mulheres entrevistadas pelo jornal francês Mediapart. Após investigação de meses, o veículo de comunicação coletou histórias que descreveram um comportamento sexual inadequado do diretor de filmes como Joana D’Arc (1999), O Quinto Elemento (1997) e O Profissional (1994) .

“Quando vi a queixa de Sand Van Roy, minhas pernas tremeram”, disse uma das entrevistadas citando o dia que descobriu pela imprensa, em maio, que a atriz Areia Van Roy tinha entrado com uma queixa de estupro contra Luc Besson. Ao ver a atriz que trabalhou com Besson entre 2000 e 2005, a entrevistada disse que pensou: “Bem, alguém está falando. Vamos lá também”. Então, na sexta-feira (6), escreveu ao promotor da República de Paris para denunciar fatos que ela descreve como “agressão sexual”.

A vítima contou ao Mediapart que, apesar de recusar todas as vezes, o diretor sempre pedia que fizesse sexo oral nele. Em uma das situações, Besson teria forçado seu corpo contra o da vítima e a tocado. Na mesma matéria, outra mulher narrou que foi chamada para o quarto de Besson, no hotel em estava hospedado, e colocada contra a parede pelo diretor, que começou a beijá-la. A vítima conta que conseguiu escapar ao se jogar no chão e depois sair correndo.

Besson negou a alegação de estupro de Van Roy, que ainda está sob investigação, e se recusou a comentar as novas acusações. O advogado do diretor, Thierry Marembert, foi citado pela Mediapart dizendo que Besson estava reservando sua resposta para as autoridades “para que sua inocência possa ser comprovada”. Assim como nos casos de Harvey Weinstein e Kevin Spacey, os assédios do diretor francês aconteciam com pessoas que trabalhavam com ele.

Kevin Spacey é demitido da Netflix após escândalo de assédio

Facebook Comentarios