Latinos usam criatividade para preservação ambiental

8

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), no estudo O Estado das Florestas no Mundo de 2018, divulgado hoje (6), cita além do Brasil, Guatemala, México e Costa Rica como exemplos de países que buscam alternativas para conscientizar a sociedade sobre a necessidade de preservação ambiental e combate ao desmatamento;

O relatório da FAO informa que na Guatemala, em que 70% das terras florestais estão sob algum tipo de proteção, as empresas florestais comunitárias gerenciam mais de 420 mil hectares dentro da Reserva da Biosfera Maia.

A Guatemala concedeu a essas empresas concessões florestais. Em um ano (2006 a 2007), estas instituições obtiveram receitas de 4,75 milhões de dólares pelas vendas de madeira certificada e 150 mil para a venda de produtos florestais não-madeireiros.

Segundo o estudo, as empresas guatemaltecas geraram mais de 10 mil empregos diretos e uns 60 mil indiretos. Além disso, pagavam aos trabalhadores mais que o dobro do salário normal (Instituo de Recursos Mundiais, 2008).

Comunidades

A partir de 1997, no México começou um programa destinado às comunidades com o objetivo de incetivar a criação de empresa florestais. Atulamente há mais de 2.300 grupos comunitários manejam suas florestas para a extração de madeira, o que gera importantes rendas para as comunidades e as famílias.

As autoridades da Costa Rica investiram no ecoturismo. Só 2016, 2,9 milhões de turistas estrangeiros visitaram o país, dos quais 66% disseram ter ido em busca de passeios e atividades ligadas à natureza.

No caso da Costa Rica, os turistas gastaram em média US$ 1.309 por pessoa, gerando para o país de US$ 2,5 bilhões, apenas com atividades ligadas ao turismo de natureza. Este tipo de atividade é equivalente a 4,4% do Produto Interno Bruto (PIB) da Costa Rica.

Facebook Comentarios