Operação contra o tráfico na Baixada Fluminense prende 23 pessoas

12

A Polícia Civil e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Rio, realizaram hoje (29) uma operação conjunta contra o crime organizado, que resultou na prisão de 23 pessoas em Campos Elíseos, Jardim Primavera e Saracuruna, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A operação Celta tinha a finalidade de cumprir 19 mandados de prisão por associação para o tráfico de drogas. Mais de 150 policiais participaram da ação.

“O dinheiro arrecadado pelo tráfico, aliado ao roubo de cargas e veículos, era usado para comprar armas, principalmente fuzis, e ajudar a manter presos ligados a mesma quadrilha, com o pagamento de advogados e assistência às famílias”, explicou o delegado Márcio Mendonça, diretor da Polícia Interestadual e de Capturas (Polinter).

Escutas telefônicas autorizadas pela Justiça apontaram que a carga de um caminhão, roubado com cobre, foi vendida e usada para comprar armamento pesado para a quadrilha que tem conexão com o tráfico de drogas do Complexo da Penha, na zona norte do Rio. As investigações apontaram também que a associação criminosa é liderada pelo denunciado Thiago Barbosa Conrado, conhecido como “Thiaguinho” ou “TH” e Welinton Oliveira Souza, conhecido como ‘Cara de Porco’. 

Toda a logística da atividade criminosa, desde a localização dos pontos de venda de drogas, o controle do fluxo da comercialização e a divisão do lucro eram realizados pelo denunciado Shermann Londres de Souza, que exercia papel fundamental na organização. 

Disputa

A região vem sendo palco de uma intensa disputa entre traficantes e milicianos pelo controle do crime organizado. Embora envolvendo outros grupos de criminosos, o Gaeco/MPRJ já ofereceu duas denúncias, entre 2017 e 2018, sobre homicídios decorrentes dessa disputa.

Num dos casos, dois integrantes do tráfico foram mortos e um baleado por milicianos. No outro, três componentes da milícia foram assassinados e um foi ferido a tiros por traficantes. 

Facebook Comentarios