Com até 70% de desconto, Liquida Bahia movimenta economia até dia 6

7

As promoções do São João ainda nem esfriaram e o varejo já vai entrar em mais uma fase de liquidação. Nesta quinta-feira (28) teve início a Liquida Bahia, evento que reúne 7,2 mil pontos de venda em Salvador e mais 50 municípios baianos, com descontos que podem chegar a 70%. As promoções seguem até o dia 6 de julho.

Apesar das vendas estarem em baixa nos últimos meses, os organizadores do evento esperam registrar crescimento de 5% a mais no comércio em relação a 2017. O montante não foi divulgado. Este ano a liquidação, que tradicionalmente acontece no mês de julho, foi antecipada para o final de junho com o objetivo de incrementar as vendas.

Para o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado da Bahia (FCDL-BA), Pedro Failla, a mudança na data pode ajudar a impulsionar as vendas por dois fatores.

“A Liquida a Bahia é realizada em Salvador e no interior do estado, e alguns municípios têm a tradição forte de São Pedro, o que termina levando as pessoas às compras. Além disso, esse ano temos a Copa do Mundo e, se tudo sair bem com a Seleção Brasileira, o varejo vai faturar mais”, contou.

Os comerciantes contaram que o resultado do campeonato influencia diretamente nas vendas. O gerente da Larshopping, uma loja de móveis que fica no Shopping Barra, Thiago Teles, espera que a Liquida Bahia ajude a melhorar os negócios.

Gerente de loja em shopping, Thiago Teles anuncia promoções e espera melhora nas vendas (Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO) 

“No ano passado tivemos crescimento de 25% nas vendas. Esse ano esperamos repetir o mesmo percentual. As vendas estão baixas. Durante os dias em que tem jogos do Brasil, o movimento cai bastante. Espero que a liquidação ajude a melhorar a situação”, disse.

Preparação
Apesar de a Liquida começar nesta quinta, muitas lojas ainda não estavam decoradas quando abriram as portas. Enquanto o gerente conversava com o CORREIO, os funcionários usavam uma escada para prender as bandeirolas com os anúncios e afixavam alguns cartazes nas paredes.

Funcionário coloca anúncio de liquidação em loja; promoções foram antecipadas (Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

Do outro lado do corredor, na loja de óculos A Fábrica, os vendedores estavam fazendo a substituição dos preços nas vitrines no meio da manhã. Segundo o funcionário João Freitas, 46, as principais apostas são os acessórios de sol. “As marcas mais famosas, como Ray-ban e Prada, são as mais procuradas nessa época”, disse.

Na Avenida Sete de Setembro poucas lojas estavam em clima de liquidação. Para o vendedor Gabriel Santos, 24, o comércio ainda está tímido por conta das baixas vendas registradas nos meses anteriores.

“Os clientes ainda não estão aparecendo para comprar e os donos das lojas também estão meio desconfiados. As vendas de maio e de junho foram abaixo do esperado. A gente esperava vender mais no Dia dos Namorados e no São João, mas o movimento foi fraco”, disse.

Economia
Segundo o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Alberto Nunes, essa é a oportunidade de movimentar o mercado e aquecer a economia. Ele contou que o percentual de desconto de cada loja fica por conta do comerciante, mas disse que algumas podem chegar a 70%.

“A Líquida Bahia é um evento muito esperado porque movimenta a economia. Assim como a Líquida Salvador é importante para Salvador, a Líquida Bahia é muito importante, não apenas para capital como também para todo o estado. Ela melhora a economia porque faz o dinheiro circular e movimenta o comércio”, afirmou.

Nunes contou que os setores mais impactados são os de confecção, como vestuário e calçados, e de eletrodomésticos. Para o superintendente do Sebrae na Bahia, Jorge Curi, esse é o momento ideal para os empreendedores pensarem em vantagens para os negócios.

“Todo mundo está ciente do momento que estamos vivendo no país. A dificuldade da economia reflete no comércio e o varejo é o que fica mais prejudicado. Esse esforço que a Federação, junto com o Sebrae, está fazendo, é no sentido de minimizar as dificuldades, intensificadas ainda mais nesse período de baixa estação. Esse é o momento para estudar que tipo de ofertas pode-se fazer para atrair clientes e impulsionar as vendas”, afirmou.

Bola na rede
Apesar de a Copa do Mundo estar acontecendo do outro lado do mundo, os comerciantes garantem que o desempenho das vendas está atrelado à performance dos meninos de Tite em campo, na Rússia. O campeonato tem impacto direto nas vendas, na medida em que anima ou esmorece os consumidores.

Apesar da decoração ainda estar tímida, alguns shoppings já entraram no clima de liquidação. Os corredores do Shopping Piedade abriram mão das velhas bandeirolas coloridas de São João pelas que trazem as imagens de prêmios da Liquida Bahia. Tem loja que já fixou nas vitrines, em letras garrafais, a palavrinha mágica: liquidação.

A gerente de marketing do Salvador Shopping, Karina Dourado, contou que as lojas começaram a montar a decoração nesta quinta e que os comerciantes estão esperançosos de alavancar as vendas nesse período. A estimativa deles é a mesma da FCDL-BA.

“Como a liquidação vai acontecer entre o final e o início do mês, época em que as pessoas recebem os salários, esperamos aumento de 4% a 5% no movimento e nas vendas. Alguns comerciantes estão bastante animados e as vitrines começaram a serem decoradas”, disse.

Grande
Quando teve a ideia de criar a Liquida Bahia, o hoje coordenador da campanha, Bernardo Carvalho, não imaginava que o evento tomaria proporções tão grandes. Ele contou que entre a ideia e a execução foram cinco meses de planejamento, com muitas ligações e negociações. Este ano são mais de 50 cidades participando da liquidação.

“A Liquida Bahia é um apêndice da Liquida Salvador, um projeto que criamos há 21 anos para suprir uma data de retração que era o pós-carnaval. Percebemos que haviam várias cidades do interior querendo fazer sua própria liquida, mas que sozinha não tinha condições, então, a gente procurou a CDL, o governo, as prefeituras e outros parceiros que apoiaram a campanha”, contou.

A 7ª edição da Liquida Bahia conta com patrocínio da Rede e Mastercard, e apoio também da prefeitura e do governo do estado. Quem deixou para ir às compras depois do São João está comemorando porque ganhou um motivo a mais para comprar.

Facebook Comentarios